quinta-feira, 21 de junho de 2012

Gostei muito de ler as palavras que outras mães solidárias com esta que vos escreve, deixaram no meu post "Perdida na maternidade". Já imaginava que havia mais da minha "espécie"por ai, mas foi bom sentir compreensão e afinidade através de palavras. O meu filho no outro dia dizia: -Mãe estás gorda. Eu respondi : - não sou gorda, sou fofinha! Ele continuou o massacre: - Não mãe, estás mesmo gorda!! Posto isto, não havia mais nada a fazer do que encarar a dura realidade e fazer um plano de ataque aos kg a mais que se alojaram no meu corpo. No mesmo dia ofereceram-me de o livro "A dieta dos 31 dias" e eu que nem acredito em coincidências vi isso como um sinal divino em que estava na hora de eu abrir a pestana e entrar em acção. Estou apenas no 4º dia de dieta mas não é que já perdi 4 cm na maldita barriga que o meu filho tanto desaprova?! E ainda por cima é uma dieta super fácil de fazer para quem gosta de comer, pois até nos deixa comer um pão ao pequeno almoço com café com leite!!! Sinceramente não tenho fome, e acredito mesmo que é desta que volto a ser sereia e a poder voltar a gostar de ir ás compras!

1 comentário:

  1. Quando fiquei grávida pesava 74kgs e pensei: "Adeus calças, a vossa nova morada é definitivamente no armário". Perdi peso até aos 72 e só depois engordei até aos 78. Quando a minha filha nasceu, fiquei logo co, os 72 novamente mas com barriga. Eu diria que levei cerca de 1 ano a perder aquela barriga e a ficar mais magra do que era antes (peso cerca de menos 10kgs). E não amamentei (nem uma pinga corria), uma coisa que supostamente faz voltar à forma mais depressa...
    Não fiz dieta absolutamente nenhuma, como aí uns 4 pães por dia (pequenos, quadrados), quase todos os dias como sobremesa, etc. Sempre fui rechunchuda e nunca tive tendência para emagrecer. Penso que também não se passa nada de errado com a saúde para ter emagrecido assim.
    Estou bem com este peso, se pudesse eliminava algumas gordoritas localizadas mas o facto de pesar muito menos e sem esforço, é uma grande ajuda. Penso que terá a ver com fazer refeições com horários mais regulares, especialmente o pequeno-almoço e ceia.

    P.S.: aquelas calças, não só me servem como agora são largas e me ficam mal. Quando as larguei já me apertavam. Outras ainda mais apertadas já voltaram para o roupeiro novamente e mesmo assim...

    ResponderEliminar

Sugestões para trabalhar a leitura e a escrita de forma divertida

Há alguns dias recebi uma mensagem de uma mãe a pedir ideias para ajudar o filhote que estava com alguns problemas na aprendizagem, espe...